quinta-feira, 30 de maio de 2013

Justiça do Rio suspende amistoso Brasil x Inglaterra no Maracanã

Último evento teste do Maracanã estava marcado para domingo (2).
MP-RJ alega que faltam laudos que comprovem segurança do estádio.

Priscilla SouzaDo G1 Rio
A Justiça do Rio concedeu liminar, nesta quinta-feira (30), suspendendo o amistoso entre Brasil e Inglaterra marcado para o próximo domingo (2), no estádio do Maracanã. O pedido foi feito pelo Ministério Público estadual, que alega falta de segurança para o público, e aceito pela juíza da 13ª Vara de Fazenda da Capital, Adriana Costa dos Santos, que responde pelo plantão judiciário.
A partida seria o último evento teste do Maracanã antes da Copa das Confederações, que será realizada de 15 a 30 de junho.
Procurado pelo G1, o Governo do Estado informou que já está recorrendo da decisão. De acordo com a assessoria de imprensa do governador Sérgio Cabral,  informou por meio de nota, que todos os requisitos de segurança para o amistoso Brasil e Inglaterra foram cumpridos e, por uma falha burocrática, o laudo da Polícia Militar que comprova o cumprimento das regras de segurança no Maracanã não havia sido entregue à Superintendência de Desportos do Rio de Janeiro (Suderj). Ainda segundo a nota, o laudo será encaminhado com o recurso do Estado ao plantão Judiciário.
A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) informou por meio de nota que "o departamento jurídico diz que todos os laudos necessários foram emitidos e serão encaminhados para a juíza a fim de mostrar que a decisão não faz sentido".Liminar
Na decisão, a juíza determina que sejam apresentados laudos que comprovem que o Maracanã está apto a receber torcedores sem que haja risco de segurança. "Afinal, a não concessão da liminar requerida se afiguraria bem mais gravosa do que seu deferimento, já que o jogo seria realizado sem se averiguar se há condições satisfatórias nos quesitos de segurança e higiene, podendo colocar em risco a segurança dos que lá estiverem", afirma a juíza Adriana Costa dos Santos.
A Justiça fixou ainda multa de R$ 1 milhão para cada jogo ou evento realizado irregularmente, antes da liberação do Maracanã para receber torcedores.
Falta de segurança
O MP-RJ  entrou ação civil pública em face da Confederação Brasileira de Futebol, Comitê Organizador Brasileiro Ltda (COL) e José Maria Marin, presidente da CBF, pedindo a proibição da realização de jogos e eventos no estádio do Maracanã, inclusive o amistoso entre Brasil e Inglaterra, até que sejam apresentados, em sua integralidade, os laudos técnicos que comprovem que o estádio está em condições de sediar jogos e eventos. A Promotoria alega preocupação com a segurança dos torcedores.
O Ministério Público ainda informou, na petição inicial, que não foram entregues os laudos de vistoria de engenharia, de prevenção e combate a incêndio, condições sanitárias e de higiene, fundamentais para se atestar a segurança e viabilidade do estádio para realização de eventos. A Promotoria ressaltou ainda que, até o mês de abril de 2013, a vistoria realizada pela Policia Militar indicava que o Maracanã não estava apto a receber público para eventos, em virtude das inúmeras restrições. O MP-RJ alegou na ação que o jogo realizado no dia 27 de abril (Amigos de Bebeto contra Amigos de Ronaldo) mostrou que havia inúmeros problemas.
Maracanã em obras
De acordo com o Ministério Público, o único laudo apresentado pela Polícia Militar de 29 de maio deste ano demonstra que o estádio ainda está em fase de construção, apresentando riscos, como materiais perigosos (pedras, pedaços de calçadas, restos de obras, hastes metálicas, outros), que poderiam ser utilizados em tumultos e confrontos de torcedores.
Segundo a Promotoria, foi constatado também pisos soltos, mal fixados, além de não existirem obstáculos para dificultar a invasão de torcedores da arquibancada para o campo (alambrado, grades, fosso). Os promotores afirmam que o laudo da PM aponta um muro de aproximadamente um metro de altura com o único obstáculo, e que isso não impediria uma possível invasão no campo, sendo necessário "forte emprego de efetivo no local". 

Tabaco é responsável direto por dois em cada dez tumores

Hábito de fumar é causa de 80% dos casos de câncer de pulmão e laringe

Fonte: Agência Brasil
30 de Maio de 2013 por Editoria de Web
O tabaco é responsável direto por dois em cada dez tumores, mostra estudo do Instituto Catalão de Oncologia – Hospital Duran i Reynals, que seguiu cerca de 440 mil pessoas durante 11 anos.
Das 441.211 pessoas seguidas, 14.563 desenvolveram um tumor relacionado ao hábito de fumar, informou o instituto, a propósito do Dia Mundial sem Tabaco, que será lembrado nesta dexta-feira (31).
 
O estudo, publicado na revista Journal of Clinical Oncology, confirma que o hábito de fumar é causa de 80% dos tumores do pulmão e da laringe, assim como de 20% a 50% dos demais tumores respiratórios, digestivos e do trato urinário.
 
A pesquisa mostra que um percentual desses tumores é responsabilidade direta do tabaco, causa também de 25% dos de fígado, 14% dos de ovário e 8% dos de rins.
 
Os cientistas compararam o número de casos de tumores entre fumantes, ex-fumantes e os que nunca tinham fumado. O estudo revela que 36% dos tumores relacionados ao uso do tabaco são diretamente provocados pelo seu consumo, o que representa 20% do total.
 
Foto: Marcelo Casal Jr/Abr

Em ônibus passageira surta e ataca de novo com a faca na mão

CARATINGA – Pela segunda vez em pouco mais de duas semanas, mulher em surto psicótico ataca usuários de transporte público no centro da cidade. Aparecida de Souza Cesário, 32 anos, ameaçou passageiros de uma linha da viação Rio Doce na Avenida Olegário Maciel, no centro da cidade. Ao descer do coletivo com a faca na mão e ameaçando quem passava pelo local, um policial que estava à paisana viu a situação e na tentativa de imobilizar e desarmar Aparecida, acabou entrando em luta corporal com ela e sofrendo uma queda que resultou em uma lesão na perna direita. Com a queda a faca caiu no chão e foi removida por Clederson Almeida da Silveira que também passava pelo local e conseguiu imobilizar Aparecida até a chegada da Policia Militar. 
Aparecida foi encaminhada para o Pronto Atendimento Municipal para ser medicada e depois encaminhada ao CAPS AD, onde faz tratamento há quase três anos. Segundo funcionários da unidade de saúde, Aparecida é uma pessoa tranquila e não tem comportamento agressivo, mas neste mês de maio, por duas vezes ela tentou agredir pessoas em um coletivo, ameaçando os passageiros com uma faca. 
Eduardo Damasceno Lopes que é coordenador de saúde mental do município e prestou todo o acompanhamento a fim de tranquilizar Aparecida, tanto no momento da agressão ao militar, como no encaminhamento as unidades de saúde, disse à reportagem do DIÁRIO DE CARATINGA, que ela faz acompanhamento no CAPS AD desde julho de 2010, mas que por se tratar de um tratamento voluntário, ela frequentemente, abandona o programa e se ausenta por dias ficando sem a medicação necessária para controle das psicopatias. 
Segundo informação da unidade de saúde, Aparecida sofre de transtorno mental e comportamental devido ao uso de múltiplas drogas – síndrome de dependência, transtorno afetivo bipolar e epilepsia. Ela faz uso continuo e diário de 16 medicamentos, e o tratamento não pode ser interrompido, para manter a paciente sobre controle.
Segundo Eduardo, Aparecida tinha abandonado o tratamento por uma semana e contou que durante este tempo havia viajado e estava fazendo o uso de crack, droga a qual se tornou dependente. Na terça-feira, retornou ao CAPS AD e apresentava comportamento calmo: ela permaneceu na unidade por todo o dia, passou pelo médico por quatro vezes e estava tranquila. Ontem pela manhã, o motorista da unidade de saúde esteve em sua residência para buscá-la, mas ela se recusou a ir, ele ainda aguardou por cerca de meia hora, mas ela não quis acompanhá-lo. Horas depois o incidente com Aparecida estava sendo registrado pela Polícia Militar. 

O QUE É
O CAPS AD (Centro de Atenção Psicossocial Álcool e Drogas) é uma unidade de saúde voltada para o atendimento dos pacientes que apresentam distúrbios sociais com associação ao uso de drogas. A unidade de Caratinga, ainda recente, com apenas 1 ano e sete meses de funcionamento, já atende a cerca de 300 pacientes entre tratamentos intensivos, semi-intensivos e extensivo. 
Hoje o CAPS AD atende de segunda a sexta de 7h às 17h, o que, para a coordenadora Alessandra Vieira Salim não é o suficiente para tratar os pacientes intensivos, que precisariam de um apoio maior. Alessandra conta que o município já está buscando subsídios para a implantação do CAPS AD3, que oferece atendimento 24hs todos os dias, e seria o ideal para que situações como a de Aparecida não viessem a acontecer.

O Surto
Surto Psicótico é um episódio de dissociação da estrutura psíquica do indivíduo, fazendo com que este mostre comportamentos socialmente estranhos e diferentes, devido à momentânea incapacidade de pensar racionalmente.
Caracterizado pela perda da noção de realidade e por uma desorganização do pensamento, o surto psicótico pode ser causado por doenças como a esquizofrenia, por um trauma muito grande ou pelo uso de drogas, a exemplo da cocaína ou crack. 
É durante um surto psicótico que ocorre uma perda de realidade, onde não há diferenciação entre o mundo real e o imaginário da pessoa. Neste momento a pessoa em uma crise psicótica, confunde os pensamentos internos dela com o mundo real. E não consegue distinguir o que são os pensamentos dela e o que realmente está acontecendo a sua volta.

Seguidores